“Olga Lebedeff escolheu para sua “questão” o diálogo entre a visão da criação e a recepção. Evocando a palavra grega AISTHEKÉ (estética), cujo significado é A MANEIRA DE SENTIR – tem buscado através da linguagem plástica o enfoque de problemas e milagres de hoje e de sempre.

A variação nas cores, nas técnicas, na forma e na própria temática foi sempre abordada com plena liberdade em busca de uma expressão estética formal eclética.

A temática simbólica e mística, disciplinada pela vigorosa técnica da gravura se estende também às transparências e à linguagem da cor. Problemas de ordem filosófica e emocional que a arte tem o poder de transubstanciar, assim como o mergulho na linguagem alquímica representam um vínculo comum aos seres humanos. A sincronicidade nos surpreende às vezes com a apresentação de símbolos de civilizações primitivas do passado e do presente que, apresentadas com técnicas universais, possibilitam a compreensão do pensamento artístico.”

Dicionário de Artes Plásticas do Brasil de Autoria de Roberto Pontual, páginas 304/305

 

“A magia do olhar e da comunicação.

Nos dias de hoje, um espaço dedicado à arte, seja ele real ou virtual, deve permitir não apenas a contemplação passiva de quadros, esculturas ou outras formas de expressão expressão artística. Ele deve possibilitar o contato; esta é a grande façanha da Internet. Dispensando ou não a palavra escrita ou falada, o artista e o observador podem trocar mensagens, que são imagens criadas em diversos momentos de sua vida. Artistas, críticos, apreciadores, marchands e curiosos estão entrelaçados nessa teia de imagens que nos envolve e aproxima, assim como provoca, às vezes, a colisão de diferentes mundos.

O passado, o presente e o futuro se entrelaçam apresentando o desejado sentimento de aproximação e o relato de uma vida. Assim são os meus trabalhos: repletos de saudades, visões e esperanças de locais e pessoas com os quais interagi no Brasil e nos países que  visitei. Desejo compartilhar com os visitantes do site um pouco dessa vivência. Alguns serão pessoas que acompanharam meu dia a dia na arte. Outros, parentes e amigos. Muitos serão completos desconhecidos. A todos convido a dar sua contribuição: critique, aconselhe, recomende, “intrometa-se”… Se desejar enviar uma mensagem pessoal, use a seção “contato”. Se preferir compartilhar suas observações, escreva no “espaço de crítica”.

Quero dedicar esses relatos gráficos e pictóricos à sensibilidade das pessoas que visitarem este espaço.”

Olga